Grand Canyon

21 set

Sabe a Gábi? Aquela que postou sobre Vail aqui? Hoje ela aparece de novo no blog para contar do Grand Canyon. Vamos lá?

“Eu aqui de novo! Vou falar do Grand Canyon. Passei por lá em março de 2009. Fui de carro com amigos, saindo de Vail, Colorado. Houve uma parada inesperada no caminho: atolamos na neve em uma estradinha no meio da floresta. Por isso, meu conselho maior a quem vai de carro, é não confiar no GPS, pois ele pode indicar trechos que devem ser percorridos apenas no verão. Perdemos um dia de viagem, por isso nossa visita ao Grand Canyon foi rapidinha, mas não menos incrível.

A estrada que leva ao parque já dá uma prévia do que você vai ver lá. No caminho dá pra ver um monte de formações de pedras e buracos e afins. Há um parada imperdível, uma ponte imensa, e superalta, que passa em cima de um rio de água verde verde. Só é legal tomar cuidado pra não perder muito tempo em mirantes que impressionam, mas definitivamente não tanto quanto as vistas de dentro do parque.

Também é possível conhecer um pouco da cultura indígena por lá, e até comprar algum artesanato dos índios Navajo. Comprei uma tartaruguinha bem diferente com uma pedra da sorte pra minha mãe.

Para entrar no parque, é preciso pagar um valor, por tipo de automóvel, se não me engano. Lá dentro há vários mirantes, com vistas diferentes. Em um deles há um museu com coisas indígenas e uma lojinha, com souvenirs e artesanato. Nessa parada também dá pra ver as formações mais detalhadamente, por meio daquelas lunetinhas/binóculos/nãoseicomochamaaquilo.

Uma parada mais pra frente é a mais legal (elas têm nome, mas eu não lembro), vale a pena reservar um bom tempo pra essa, que tem a vista mais bonita. É bem ampla, e aí se vê a paisagem de vários ângulos. Dá até pra chegar bem na beiradinha de algumas pedras, o que é bem perigoso, mas eu arrisquei, só pra ver a profundidade. Penso que já morreram alguns turistas desequilibrados. Eu pude assistir ao pôr do sol nesse mirante, que foi de longe a coisa mais bonita que já vi. A paisagem impressiona mesmo, dá vontade de chorar.

Acho que 1 dia é suficiente para conhecer o parque, a menos que você tenha interesse em acampar e se aventurar um pouco mais. Lá dentro é possível encontrar guias e panfletos com informações gerais, inclusive com dados importantes pra planejar a sua visita, como horário de nascer e pôr do sol em diferentes épocas do ano.

Se você for ao oeste americano, eu recomendo fortemente que conheça o Grand Canyon e, de quebra, pode ainda dar uma passadinha em Las Vegas, tudo de carro. Foi o que eu fiz, e outro dia eu conto sobre a minha próxima parada. Tchau!

(ah, tem várias informações no site!)”

Não deu aquela vibe de desenho animado? Do Coiote e do Papa Léguas assim?

Anúncios

Uma resposta to “Grand Canyon”

Trackbacks/Pingbacks

  1. Welcome to fabulous Las Vegas « Finestrino - 29/09/2010

    […] por motivos que já expliquei aqui antes (fiquei atolada na neve), perdi 1 dia de viagem no caminho para Vegas, o que significa muito, […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s