Arquivo | agosto, 2010

Comparando: Museus – Londres

29 ago

Já comentei no blog que adoro visitar museus, e se já não comentei vocês já devem ter percebido isso. Londres é uma cidade incrível, cheia de cultura e coisas novas/diferentes por todos os lados. E é claro que tem um monte de museus. Tem até demais, eu diria! Por isso vou falar um pouquinho sobre eles aqui, assim quem estiver indo pra lá pode selecionar os que mais interessa e não “perde tempo” indo em tooooodos.

Tate Modern

Este é um museu de arte moderna e claro o prédio já é todo modernoso e gigantesco. A parte interna é realmente bem grande e quando eu fui não tinham taaaantas exposições assim. Por isso achei o espaço meio frio e talvez grande demais. O bom de lá é que tem capacidade de abrigar obras gigantescas que muitos museus não conseguem.

O acervo do museu conta com obras de Picasso, Matisse, Duchamp, Dali, Rodin e Wharol.

O museu fica perto do London Eye, e abre de 2º a 5º das 10h às 18h e 6º e sábado das 10h às 22h. E o melhor: é grátis!

London Aquarium

Não sei se isso entra bem em “museus” mas… pensando bem, é um museu de peixes, não? Enfim, coloquei aqui porque é um ponto turístico de Londres e todo mundo fala um monte deste aquário. Me decepcionei com ele, inclusive. Todo mundo falava tanto, que eu fui. Diferentemente do Tate, ele é pago. E é bem pago! Tem lá uns peixinhos, uns tubarõezinhos… mas não achei nada demais. Depois de ver tanto museu e coisa legal em Londres, esse é um lugar que eu recomendo apenas se tiver tempo sobrando na viagem.

Ele fica bem na frente do London Eye e abre diariamente das 10h às 18h.

Museu de Londres

Este museu abriga toda a história da cidade dos últimos 2 mil anos! Ele é inclusive o maior museu sobre a cidade e foi inaugurado em 1976.

Ele conta bem claramente a história pois a seqüência das salas é muito bem feita. Assim a gente não se perde lá dentro e entra aleatoriamente em salas e depois não sabe por onde voltar. (odeio quando isso acontece)

A entrada é gratuita e abre de 2º a sábado das 10h às 17h50 e domingo de 12h às 17h50 também.

British Museum

Este é excelente! Enoooorme e super bonito abriga um acervo, tem que ter paciência para conseguir ver tudo. Lá tem uma parte do Egito que é absurda! Vale muito a pena. Claro que como todo museu, tem algumas salas mais… bobinhas e não tão interessantes (pelo menos pra mim né?). Só o hall de entrada já vale a visita!

Se não bastar o hall e a ala egípcia, você encontra a Pedra da Rosetta lá também.

Ele fica aberto de domingo a 4º das 10h às 17h30, 5º e 6º das 10h às 20h30. Entrada gratuita!

National Gallery

Neste museu eu só dei uma passada. Dois motivos: estava super cansada já e porque o museu estava pra fechar. O National gallery abriga cerca de 2 mil pinturas, todas em exposição. Entre elas estão artistas como Cézanne e Giotto.

A entrada aqui é gratuita, inclusive a visita guiada (tem horários específicos, é bom averiguar).

Natural History Museum

Adoreeeei este museu. É gigantesco, o prédio é lindo, e tem coisas muito legais para ver, entre elas, dinossauros (foi a 1º vez que vi dinos na vida, adorei!).

Além dos amigos fósseis, tem uma sala que fala de como é toda a Terra, outra que fala só de Darwin, outra de como funciona a nossa memória, e muitas outras coisas. Se quiser você passa o dia aqui dentro. Por isso é bom pegar um mapinha do museu ali na entrada e meio que selecionar o que quer ver. Uma coisa meio Louvre de ser.

Entrada gratuita (você não ama os museus de Londres só por causa disso???). Funciona de 2º a sábado das 10h às 17h50 e domingos das 11h às 17h50.

Science Museum

Este museu fica do-lado do Natural History Museum e tem entrada grátis também (!!!). Ele de certa forma é mais “infantil” porque parece uma feira de ciências, só que ok, bem melhor e com “maquetes” decentes e que funcionam.

Como o próprio nome já diz, a ciência é o foco deste museu, então tudo que tem lá é voltado para as ciências. Tem desde máquinas antigas e como elas funcionavam, até aviões, carros e naves espaciais e essas tecnologias de ponta. O museu é bem grande também (não tanto quanto o seu vizinho ali).

Tem algumas salas com exposições interativas e é aí que todo mundo parece criança mesmo. É inevitável, você vai querer brincar também, não adianta querer fugir.

O museu funciona diariamente das 10h às 18h.

Victoria & Albert Museum

Este é outro vizinho do Science e do Natural History, mas ele só tem uma parte que é gratuita (aaahhhh). Como eu já tinha visto os outros dois museus um em seguida do outro, acabei só entrando pra dar uma olhada nesse aí, tanto porque me falaram que tinha uma exposição de moda lá. O que foi meio frustrante, porque era a parte paga do museu ¬¬. Era tipo £11! Ha.

O prédio é super bonito, de fora já é um passeio. Se for entrar, tome o mesmo cuidado de escolher bem as salas, pois este museu tem 11km de galerias espalhadas em 6 andares!!

Madame Tussaud´s

Preciso explicar este museu? Não né? Ele é carinho, mas vale a pena, principalmente depois de ver todos os museus de graça. A entrada fica em torno de £16 mais ou menos. Na verdade se você comprar os bilhetes combinados tipo London Eye + Aquarium + Madame Tussaud´s, ficam todos mais baratos. Existem algumas opções de combinar bilhetes, dá pra comprar lá na entrada do London Eye e ver o que fica melhor no seu roteiro e nos passeios que quer fazer. (Tem fila tá? Meio grande. )

No Madame Tussaud´s também tem fila pra entrar, mas se tiver o bilhete comprado a fila é 1 pouco menor. É super legal o museu, no mínimo divertido. Nesse de Londres tem uma parte que te leva por toda a história de Londres dentro de um carrinho, tipo trem fantasma assim. É bem legal. Só que o museu é bem lotado, tem horas que é impossível tirar foto com uma ou outra estátua.

Este museu também é um pouquinho mais afastado do centro. Fica em Baker Street.

Bom, esses são alguns dos mais conhecidos museus de Londres. Tem um mooonte de outros museus menores e com coleções específicas. Tem inclusive o Museu do Dali (que eu amo!) mas acabei não indo porque era caro e tinha outras prioridades. Devia ter trocado o Aquário por esse, se soubesse que o aquário seria tão fraquinho. Ainda mais porque um é do lado do outro!

Tem também o Tate Britain, que é uma versão mais clássica do Tate Modern. E tem um espaço de eventos chamado O2 que fica bem afastado e que tem umas exposições bacanas e diferentes. Quando eu fui conhecer o lugar estavam com aquela expo dos corpos humanos dissecados… até veio pro Brasil esses tempos atrás. Fica de olho na programação do O2, pode ter uma exposição super legal pro lá!!

Anúncios

Brugge

28 ago

Como a Anna falou nos últimos dias sobre Bruxelas e Gent, vou fechar a trilogia Belgica mostrando um pouquinho de Brugge.

Já deu pra perceber que a Belgica é um chuchu, né? Brugge não foge a regra. A cidade é bem pequena, com construções antigas muito bem conservadas e um centro comercial ótimo, se você for fazer compras. No site oficial da cidade tem informações de restaurantes, hoteis, visitas e museus.

Uma dica pra quem for ficar mais de um dia na Belgica, e pretende visitar as duas cidades, é passar o dia em Bruxelas e dormir em Brugges. Os preço da hospedagem é bem mais em conta, por ser uma cidade menor. Eu fiquei no Snuffel Backpacker Hostel, que é super no centro da cidade e um dos mais baratos. Acredite nos comentários quando falam que a escada é ingrime… é um absurdo. O café da manhã é fraquinho, mas os quartos são bons, e pelo preço e pela localização, vale a pena. Opção pra quem viaja barato!

O mais interessante em Brugges é a arquitetura e como é tudo bem pertinho, dá pra aproveitar a cidade a pé mesmo. Bem no centro da cidade fica a prefeitura e a praça principal, da onde saem passeios de charrete. Ao redor ficam vários prédios oficiais (não sei o que é o que, mas são todos lindos) restaurantes e lojas.

Partindo da praça principal você se aventura pelas ruas cheias de turistas. Brugge tem alguns museus, catedrais, mas eu particularmente achei mais interessante fazer a versão sem gastos e zanzar pela cidade, entrando em lojinhas bonitinhas como essa:

senti uma certa semelhança dessas crianças bizarras com a Gina.

Um passeio legal pra fazer no verão e na primavera é conhecer a cidade de barco. Ela é cheia de rios e canais… custa uns sete euros por pessoa.

Snaks impertíveis: batata frita de um dos carrinhos da praça central (porção gigante acompanhada de algum molho) e waffle belga em, bom, qualquer lugar basicamente. E você pode aproveitar e pedir uma Kriek, cerveja de cereja tradicional do país, bem suave e docinha. E é isso também, porque a maioria dos restaurantes são mega caros.

Como se divertir (com pouco) nas viagens

28 ago

Eu estava pensando aqui com meus botões sobre o que escrever hoje, aí lembrei que quando fui fazer o post de Gent na quarta feira vi uma foto que é clássica das minhas viagens: imitando estátuas e/ou posando com elas. Esse “costume” foi culpa de uma amiga minha, a Jo, que quando viajamos juntas me obrigava a posar com ela. Como a gente se divertia fazendo isso, continuei propagando tal costume por aí.

É nesse clima que eu posto aqui algumas dessas fotos (meio com vergoinha, porque não gosto de postar fotos em que eu apareço, ainda mais que em viagem eu tô sempre meio desleixada e largada de ficar andando de um lado pro outro!):

Gent – com a culpada de tudo

 

 

 

Buenos Aires

 

Braga

Venezia

Bari

Napoli – essa tem fotos ótimas

Salvador – essa não tá muito imitando a estátua, mas acho que vale também

Quando eu não imito as estátuas, eu poso com elas:

Modena

Porto Venere – eu tô horrível nessa foto, mas ok, abstraiam

Paris

Londres – as clássicas no Madame Tussaud´s

Tá bom, tá bom, eu sei que eu sou meio retardada, mas ah… eu me divirto, ok?

Curitiba Restaurant Week – 2° Edição

26 ago

Lembra que no começo do ano teve o Curitiba Restaurant Week? E que a gente falou aqui sobre essa semana especial?

Pra quem não pode participar (como eu) ou pra quem quer aproveitar de novo, vem aí a 2° edição!

O Restaurant Week acontece durante 2 semanas, não só aqui em Curitiba, e durante esses 15 dias os restaurantes fecham um cardápio especial com um preço também especial!! Dá pra conhecer vários lugares diferentes sem gastar muito.

A 2° edição acontece entre 27 de Setembro e 10 de Outubro. Por enquanto são cerca de 40 restaurantes confirmados. Para saber mais sobre o evento, clica aqui!

Quero muito ir nessa edição. Fiquei morrendo de vontade de ir na primeira e achei que a próxima seria só ano que vem. Já vou reservar na minha agenda.

Gent

26 ago

Faz tempo que me pediram para escrever sobre a Bélgica e em específico sobre Gent. Fui deixando, fui deixando, e hoje resolvi não deixar mais, e sabe o que? Tcharaaaammmm, post de hoje: Gent!

A cidade fica pertinho de Bruxelas, mais ou menos 1h30 de viagem de trem. Dá pra ir na estação central de Bruxelas e comprar um passe com 10 viagens. Como estávamos em 3 pessoas e íamos visitar Gent e Brugge, esse ticket era o melhor. Dividimos tudo e no final sobrou um trecho ainda. Saiu BEM mais barato do que comprar os trechos separados. Na época esse bilhete custava 64 euros, divido em 3 = 21,30 euros para fazer Bruxelas – Brugge – Gent – Bruxelas, sendo que fizemos Brugge e Gent no mesmo dia. Valeu muito a pena, recomendo. Não recomendo o nome do bilhete, porque a língua lá é algo que eu não consigo assimilar, mas nada que um inglês não resolva na hora da compra (diferente dos “queridos” franceses, lá eles falam inglês e fazem força pra entender e te ajudar, não precisa entrar em pânico).

Só mais um adendo sobre o bilhete: é bom comprar e ter em mãos sim, já que o fiscal passa nos vagões para validar o ticket!

Mas agora voltando a Gent… achei simplesmente lindíssima! Assim que você sai da estação já se depara com as casas de construção antiga com umas árvores diferentosas na frente. Super bonito – eu achei pelo menos:

A cidade é mais universitária hoje em dia, apesar que prosperou por causa do comércio têxtil. Sendo universitária, tem muito o que?? Jovens estudantes. Jovens estudantes bonitos, vale dizer. Fiquei impressionada com isso. E também senti diferença na língua! É um pouco diferente da capital.

Gent tem vários museus, castelos (que dá pra entrar e conhecer todo o interior – estudante paga meia entrada), prédios antigos e históricos que só a vista exterior já vale e claro, igrejas, igrejas e igrejas. Olha que lindo todo o centro:

O Castelo é meio pequeno até, mas é legal mesmo assim. Lá dentro tem exposição de armaduras e tal:

Achei bem bacana esse teatro:

Este prédio achei sem querer por lá. Estávamos caminhando em direção ao centro e quando olhei numa rua do lado, essa vista no fim do caminho. Tive que desviar para dar uma olhada.

Como é cidade universitária, tem que tem uma biblioteca grande. Olha que moderna a de lá (pra contrastar com todos os prédios antigos):

Lá em Gent, você pode visitar ainda a prefeitura da cidade, a imensa torre Belfort e os museus locais.

Como falei anteriormente, fizemos duas cidades em um dia (esse é o problema de mochilar com pouco tempo por aí né), e  acabamos ficando mais tempo em Brugge… Mas o pouco que conheci da cidade, recomendo. Sabe quando você sente que a cidade te recebe bem? Senti isso, apesar de um pombo ter cagado no meu casaco. Hahahaha.

As pessoas são educadas e gentis (os pombos não), te tratam bem, te ajudam e ficam felizes com turistas. Isso pra mim é bem fundamental, vide meu ódio com Paris.

Gent é linda, como todas as cidades belgas. Vale a pena uma passada mesmo que rapidinha!!

Faliu ou não faliu?

24 ago

Pra quem não estava sabendo a companhia aérea Mexicana tinha anunciado alguns dias atrás que tinha falido (é, não vou por “pedido falência” ou algo mais bonito e elegante… faliu faliu, oras! quebrou!), e os passageiros com voos agendados com ela estavam levemente desesperados, incluindo alguns amigos meus.

E era bastante gente desesperada, já que os preços das passagens estavam super baixos.

Ok, desespero aqui, desespero acolá e no fim deu tudo certo. Um grupo de investidores mexicanos comprou a companhia falida e o plano de recuperação será divulgado amanhã, bem como os voos realizados para o Brasil.

Ô sorte de quem comprou com a Mexicana hein? Eu teria entrado em desespero completo e total!!!

Para saber mais e acompanhar toda a reestruturação da companhia, clica aqui ó!

Pisa

22 ago

Pisa todo mundo sabe muito bem onde que é né? E todo mundo sempre põe no itinerário italiano essa cidadezinha da Toscana, famosa pela sua torre “levemente” torta.

Como eu sou uma pessoa relativamente normal, também coloquei Pisa em uma das minhas viagens pela Itália. Estávamos em Firenze e resolvemos fazer um passeio até a cidade. De um lugar para outro, você gasta a bagatela de 5,80 euros cada trecho de 1h15 (entre aqui para horários e preços). Mesmo que você não queira conhecer Pisa, a distância e o preço são tão convidativos que fica quase inevitável!

Outro dado importante para você querer ir pra lá é que a cidade é tão pequenininha e digamos… bobinha que uma manhã basta pra conhecer, e daí você pega um trem e vai para outra cidade ali por perto, como Siena (que a gente já falou aqui) ou Lucca, por exemplo.

Pisa tem basicamente metade dos prédios tortos porque foi construída em um solo muito arenoso, mas é  claro que o mais legal por lá É a torre que sim, é super torta.

Existe a possibilidade de subir na torre (há um limite de pessoas que podem subir por dia lá), só que quando fui estavam fazendo manutenção e não pude subir. ¬¬

Como falei, uma manhã basta na cidade. Chegue na estação, pegue um mapinha no balcão de informações e siga em frente até a Torre. Tire as fotos clássicas, ache a arquitetura bonita, a inclinação bizarra, dê uma olhada nos camelôs que ficam ali nos arredores e volte para pegar um trem novamente. Roteiro básico, fácil e simples assim!!

Minha foto clássica de Pisa, que é super difícil de tirar porque sempre tem 478920925 turistas na frente fazendo a mesma pose: